Você sabe quão importante é ter um Seguro?

Apesar da cultura do seguro ainda não ser tão popular no Brasil, devido a alguns fatores, como a economia instável do País por exemplo e a própria renda per capta muito baixa da população comparada à países onde o seguro é algo mais popular, devemos levar em consideração que o seguro traz tranquilidade e segurança, além da redução de stress financeiro em situações em que temos emergências

Poder contar com soluções quando imprevistos acontecem de maneira, rápida, prática e sem burocracias que teríamos se não estivéssemos ‘’amparados’’ é muito importante e reconfortante.

A FISCALIZO É CORRETORA

Pensando nisso a Fiscalizo agora também é Corretora de Seguros.

Poder contratar seu seguro com a mesma qualidade e atendimento que você já conhece e através dos mesmo canais que você está acostumado é de grande valia, pois traz ainda mais segurança e tranquilidade.

A importância de escolher bem a sua corretora também é um ponto muito levado em consideração na hora de fazer as cotações e contratar esse tipo de serviço.

Objetividade, clareza e um atendimento ágil e humanizado também contam como bons quesitos a levar em consideração na contratação.

Seguros auto, residenciais e vida são os mais buscados, porém, hoje temos disponíveis proteção para inúmeros ‘’bens’’, que consideramos importantes e valiosos, exemplo, seguro para Pets.

Com o mercado forte voltado para esse nicho, os ‘’melhores amigos’’ ganham cada vez mais espaço e claro, serviços exclusivos para eles.

Ainda temos os seguros odonto, eletrônicos, bikes e muito mais!

E você, ainda não contratou em plano e gostaria de saber mais sobre o assunto, ou até mesmo fazer uma cotação?

Vamos deixar um link aqui, que vai te direcionar a um corretor que poderá lhe orientar e tirar todas as suas dúvidas com relação à contratação de um seguro.

O que analisar, entender qual a necessidade e a tranquilidade que você poderá contar após a contratação.

Proteja o que você ama!

Clique Aqui e fale com nossos consultores!

Fiscalizo Contabilidade e Seguros

Benefícios da CTPS digital

Os famosos ‘’livrinhos azuis’’ estão sendo substituídos. A CTPS digital veio pra substituir as carteiras impressas, onde eram anotados os registros profissionais do trabalhador.

Sua legalidade veio a tona em 2019, apesar de ter sido implantado no país em 2017.

Hoje em dia já é possível visualizar as informações de registroadmissãodemissãoalteração de salários, tudo diretamente através da Carteira Digital acessando pelo celular ou computador.


Antes o trabalhador precisava levar toda a documentação juntamente com a carteira de trabalho a empresa para que o registro fosse feito.

De lá ia para o escritório de contabilidade ou as anotações eram feitas manualmente.

Hoje com a implementação da CTPS digital isso tudo é feito digitalmente e as informações são enviadas automaticamente para o Ministério do trabalho.


E o MT faz as atualizações periódicas no sistema o que permite a visualização de todas as informações pelo trabalhador.

O que essas mudanças trouxeram para empregados e empregadores?

Antes, ao solicitar um beneficio previdenciário, exemplo: pensão, aposentadoria, corríamos o risco de haver divergências de informações.

Além de perca de documentos, e aí o processo demorava ou não podia ser concluído, causando transtornos e aborrecimentos.

Contratações também ficaram livres de burocracias, deixando o processo mais ágil e prático.


Importante poder contar com uma assessoria contábil e empresarial, para lidar com as questões trabalhistas de sua empresa.

Como assinar a carteira digital?

Uma dúvida muito comum é: como assinar a carteira agora que ela é digital?

A resposta é simples: não é necessário assinar. Pelo menos não da forma tradicional com papel e caneta. 

A assinatura física foi substituída por uma digital.

Em geral, as empresas somente solicitam os dados necessários para fazer o registro da pessoa que está sendo empregada e isso já vale como uma assinatura. 

Em outros casos, existem sites e aplicativos usados pelas empresas contratantes que servem como uma assinatura digital para os contratos.

Mas não se preocupe, porque em nenhum desses casos é necessário que você de fato escreva a sua assinatura.  

Aqui você encontra uma equipe diferenciada e sob medida para a sua necessidade.

Um portal para facilitar sua vida

Um dos benefícios da Fiscalizo Seguros é disponibilizar um portal como uma opção de autoatendimento.

Que fornece aos clientes em um único ponto de acesso as informações da empresa/produto.

Através dele é permitido que os clientes obtenham informações e resolvam problemas por conta própria a qualquer momento.

No geral, é uma maneira econômica de oferecer suporte aos clientes, mesmo quando os agentes não estão em atendimento.

Fiscalizo Seguros é uma das poucas contabilidades online de São Paulo SP, com preços e benefícios para empresas.

Empresas que estão iniciando a sua jornada, seja ela MEI ou Simples Nacional.

Desde 2021 estamos implantando novas ferramentas para beneficiar nossos clientes.

Veja alguns dos serviços disponíveis em nosso portal:

  • Calendário de obrigações fiscais: Visualize de modo rápido, simples e prático todas as obrigações fiscais da sua empresa.
  • Emissor de nota fiscal: Com nosso emissor é possível emitir uma nota em questão de segundos, de modo rápido, prático e simples.
  • Ponto eletrônico: Controle a jornada de trabalho da sua empresa.

Nos dias de hoje os consumidores são mais autossuficientes e preferem pesquisar informações online antes de ligar para o suporte.

Diante disso, a demanda por portais de autoatendimento vem aumentando muito nos últimos anos.

Abaixo estão algumas das estatísticas mais recentes:

  • Pesquisas mostram que 98% dos consumidores experimentaram uma solução de autoatendimento, incluindo a pesquisa de perguntas frequentes de uma empresa, centro de ajuda ou outros recursos online.
  • Bases de conhecimento, como perguntas frequentes, são as opções de autoatendimento usadas com mais frequência disponíveis atualmente.
  • Uma notável parte dos consumidores globais esperam que as marcas e organizações ofereçam um portal online para autoatendimento.

Em nosso site você pode encontrar todas as informações sobre os serviços oferecidos pela Fiscalizo Seguros e as facilidades através do nosso portal – Basta clicar aqui –

Nosso portal oferece uma variedade de serviços que podem ajudar o seu negócio crescer! Vamos lá?

Entenda a importância do registro de ponto no trabalho intermitente

O registro de ponto é uma ferramenta importante para o trabalhador na modalidade de trabalho intermitente.

Esse é um trabalho em que o empregado presta serviços de forma descontínua, alternando períodos de trabalho com períodos de inatividade.

Nesse tipo de trabalho, é essencial que o empregador mantenha um controle rigoroso dos dias trabalhados.

Para que o empregado não fique sem receber os seus direitos trabalhistas.

O registro de ponto permite ao empregador conferir se o empregado trabalhou nos dias em que afirma ter trabalhado.

Além disso, esse registro é importante para a estabilidade do empregado, que pode ter seu contrato de trabalho rescindido caso demonstre ter prestado serviços em um número inferior ao contratado.

Embora o trabalho intermitente seja uma modalidade recente, o registro de ponto já é uma prática comum em empresas que contratam nesse regime.

Isso ocorre porque o registro de ponto é uma ferramenta essencial para o empregador na hora de conferir se o empregado está cumprindo seus deveres.

É importante ressaltar que o registro de ponto não é apenas uma ferramenta do empregador.

O empregado também deve manter um registro de ponto, para comprovar os dias trabalhados.


São três os tipos de registro de ponto. Caso o eletrônico seja o escolhido, a organização deverá seguir as recomendações estipuladas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de acordo com a Portaria 1510/2009.

Ponto Eletrônico

Nesse tipo, existem três maneiras de registrar o ponto:

  • Por meio da leitura biométrica, em que o colaborador bate o ponto com sua impressão digital;
  • Via cartão de ponto, no qual o funcionário usa o crachá ou outro meio parecido;
  • Por meio digital/on-line, em que o empregado pode bater o ponto via web, tablet, smartphone ou demais ferramentas, sendo a mais moderna dessas opções.

Ponto Mecânico

No registro de ponto mecânico, o colaborador usa um cartão e insere no relógio de ponto todos os dias.

Nesse cartão, ficam registradas todas as informações relativas à jornada de trabalho do empregado.

Assim, o responsável por fechar a folha de pagamento deve fazer, de forma manual, a análise dos horários de entrada e saída, banco de horas etc.

Ponto com Leitura Facial

Esse modelo de registro de ponto é um dos mais avançados atualmente, dentre todos os citados até aqui.

Nesse tipo de registro, o colaborador se posiciona em frente à câmera e suas características faciais são reconhecidas, assim, registrando o ponto.

Quando o registro de ponto é correto, é possível observar várias vantagens, tais como:

  • Possibilidade de acompanhar as horas extras realizadas e banco de horas;
  • Precisão das informações;
  • Segurança e proteção dos dados;
  • Eliminação da necessidade de ajuizamento de ações trabalhistas por falta de cômputo das horas laboradas;
  • Redução de erros no momento da análise dos dados relativos à jornada de trabalho realizada, entre outras.

Conforme o ex-procurador geral do trabalho, Ronaldo Fleury, fazer o registro de ponto beneficia as “boas empresas”.

Em virtude de sua importância, é necessário que haja o uso correto dos colaboradores e empresas.

Leia também:

Nova medida para o Trabalho Híbrido

IRPF 2022: Como aumentar o valor da restituição ou reduzir o imposto a pagar?

Gostou do conteúdo?

Deixe seu comentário.

 

Toda indenização é isenta do Imposto de Renda?

A questão da isenção de imposto de renda sobre indenizações é bastante controvertida e gerou uma grande quantidade de discussões ao longo dos anos.

Muitos contribuintes acreditam que toda indenização é isenta de imposto de renda, o que não é verdade.

Neste artigo, iremos esclarecer a questão e mostrar quais indenizações estão isentas de imposto de renda.

A primeira coisa que precisamos esclarecer é o que é considerado uma indenização.

De acordo com a legislação brasileira, indenização é “qualquer pagamento feito a título de reparação, indenização, ressarcimento, compensação ou qualquer outra forma de satisfação por dano ou prejuízo sofrido por pessoa física ou jurídica”.

Dessa forma, podemos dizer que indenização é um pagamento feito para reparar um prejuízo.

Logo, se recebermos uma indenização por um dano sofrido, o valor será tributável.

Por exemplo, se eu sofro um acidente de carro e recebo uma indenização pelos danos materiais, esse valor será tributável.

Por outro lado, se recebermos uma indenização por danos morais, esse valor não será tributável.

Isso acontece porque a legislação brasileira considera danos morais como um prejuízo não patrimonial, que não está sujeito a imposto de renda.

A lógica

Para que um rendimento seja considerado tributável é que ele gere uma variação patrimonial positiva, ou seja, aumente o patrimônio.

Contrário senso, o argumento a favor da isenção é que o ingresso apenas está repondo uma perda patrimonial anteriormente verificada.

Por isso que indenizações pagas através de apólices de seguro são consideradas isentas, uma vez que buscam apenas repor o patrimônio perdido.

Começo pela indenização por desapropriação por utilidade pública ou por interesse social que até 2012 era considerada tributável.

X

A partir daí, passou a ser considerada isenta pelo fato de a propriedade ser transferida ao Poder Público por valor justo é determinado pela justiça a título de indenização, não ensejando lucro, mas mera reposição do valor do bem expropriado.

Esse tratamento é o mesmo tanto para a desapropriação amigável quanto para a judicial.

 

Imune ao Imposto de Renda

 A desapropriação para fins de reforma agrária é conforme define o parágrafo 5º do artigo 184 da Constituição Federal de 1988 é imune.

Uma situação, agora tributável, é a constituição da servidão de passagem para o caso, por exemplo, de um imóvel rural por onde passa uma linha de transmissão de energia elétrica, o que gera uma indenização pela limitação de uso do bem, e o valor pago, incluindo eventuais juros ou atualização, é tributável através da sistemática do carnê-leão, se recebido de pessoa física ou pela retenção na fonte, se recebido de pessoa jurídica, ajustado, em ambos os casos, na Declaração de Ajuste Anual.

XXXX

Mesmo se tratando de uma indenização referente a imóvel, a tributação não ocorre pela sistemática dos ganhos de capital, porque não há a transmissão ou transferência da posse ou propriedade, mas apenas a limitação de seu uso.

Já a indenização por danos materiais, cujo objeto é repor o dano patrimonial sofrido, não é tributável, incluindo juros e atualizações, até o limite do custo de aquisição do bem, conforme parecer do fisco emitido pela solução de consulta DISIT/SRRF07 nº 61 de 21 de junho de 2013.

Se falei do dano material, é hora de falar do dano moral cuja indenização também é tida pelo fisco como isenta de imposto de renda.

Vale lembrar que o reconhecimento da isenção veio a partir de decisão do STJ que levou em conta o princípio da reparação integral, e considerando que “a indenização por dano estritamente moral não é fato gerador do imposto de renda, pois limita-se a recompor o patrimônio imaterial da vítima, atingido pelo ato ilícito praticado”.

Antes de encerrar, cito a indenização por lucros cessantes ou, no juridiquês, “pensionamento” por redução da capacidade laborativa decorrente de dano físico causado por terceiro”, que é considerada de natureza tributável por representar acréscimo patrimonial por não apenas repor o que o indivíduo perdeu, mas o que deixou de lucrar ou de ganhar, o que, em tese, representa uma renda nova, um acréscimo patrimonial.

XXX

Uma pesquisa pelo termo “indenização” no caderno de perguntas e respostas do Imposto de Renda da Pessoa Física, o conhecido “Perguntão 2022”, disponibilizado pela Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, mostrará mais algumas situações relativas às indenizações tributadas em alguns casos e isentas em outros.

Me socorro do Código Tributário Nacional, a Lei 5.172, de 25 de outubro de 1966, para deixar claro por que, mesmo sendo indenização, em alguns casos ocorre a tributação e em outros, a não incidência ou a isenção.

No próprio artigo que trata do “imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza”, Art. 43, temos a resposta em seu parágrafo 1º: “A incidência do imposto independe da denominação da receita ou do rendimento, da localização, condição jurídica ou nacionalidade da fonte, da origem e da forma de percepção.”

Dessa forma, podemos concluir que a maioria das indenizações não está sujeita a imposto de renda. Para saber mais e tirar as suas dúvidas, entre em contato conosco e saiba qual é a indenização que você recebeu e se ela está isenta de imposto de renda.

Quer saber mais sobre o assunto?

Deixe seu comentário.

Nova medida para o Trabalho Híbrido

Trabalho híbrido, home office, teletrabalho. Condições e adequações que tomaram proporção nos tempos de pandemia pela qual o mundo ainda está tentando voltar à normalidade.

Em nova medida recente publicada pelo MP ficou determinado que o comparecimento do trabalhador à empresa para executar tarefas específicas não descaracteriza o teletrabalho e que empregados com deficiência ou com filhos de até quatro anos devem ter prioridade nas vagas de home office.

Além disso, o teletrabalho pode ser contratado tanto por jornada como por produção ou tarefa.

No primeiro caso, passa a ser exigido controle de ponto dos trabalhadores.

No segundo, ele pode trabalhar na hora em que desejar.

 

Outro alvo da MP foi o auxílio-alimentação, que deve ser destinado exclusivamente à compra de refeições ou de gêneros alimentícios.

Pela norma, as administradoras de cartões não podem conceder para as empresas contratantes descontos ou condições de pagamento que eliminem a natureza pré-paga do benefício.

Contratos já firmados podem ser mantidos até maio de 2023.

O descumprimento das restrições pode acarretar multa variável entre R$ 5 mil e R$ 50 mil, que será dobrada em caso de reincidência.

A penalidade se estende a estabelecimentos que comercializarem produtos não alimentares e à empresa que os credenciou.

À exceção da multa, esses pontos já tinham sido objeto do Decreto nº 10.854/21, mas valiam apenas para os participantes do PAT.

A MP amplia o limite para empresas fora do programa.

Especialistas veem a norma como uma forma de o governo validar as restrições impostas no decreto e que estão sendo questionadas judicialmente pelas empresas.

Mais detalhes no site do MP

 

Leia também:

https://fiscalizoseguros.com/sst-no-esocial-conheca-a-obrigatoriedade-e-saiba-como-se-adequar/

https://fiscalizoseguros.com/irpf-2022-imposto-de-renda-da-pessoa-fisica/

 

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário.

Suporte