Saiba o que fazer quando sua empresa está irregular

Uma das coisas mais importantes que uma empresa deve fazer é verificar semestralmente o status das suas obrigações tributárias. Visto que, o consumidor – aquele que compra o produto ou contrata o serviço – também tem total direito de verificar a situação da empresa.

Dentre as formas mais práticas para garantir que uma empresa esteja em dia com o imposto de renda e suas obrigações tributárias. Em suma, é verificar o seu status junto a determinados órgãos.

COMO CONSULTAR O STATUS DA EMPRESA

Alguns sites são essenciais para esses processos. Entretanto, vale destacar que eles se dividem entre as esferas municipal, estadual e federal.

São eles:

  • Certidão de Débitos Relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União — para atestar que o cidadão está em condição regular com relação à Secretaria da Receita Federal e à dívida ativa da União, é possível emitir esta certidão.
  • Ela certifica que não há débitos ou pendências cadastrais no nome de determinada pessoa e que não houve omissão na entrega da declaração do Imposto de Renda. Essa certidão pode ser emitida no site da Receita Federal.
  • Certidão Negativa de Débito (CND)/Certidão Positiva de Débito com Efeitos de Negativa (CPD-EN), que pode ser emitida no site da Previdência Social.
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas — para consultar a regularidade do empregador, é possível acessar a área de serviços ao cidadão da Caixa Econômica Federal. Lá, são fornecidas informações sobre pagamento de FGTS e CRF para os fins previstos em lei.
  • Certidão de Débitos Relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União — esta certidão sinaliza que a pessoa jurídica não faz parte do Banco Nacional de Devedores Trabalhistas.
  • O cadastro, organizado pelo Tribunal Superior do Trabalho, reúne informações dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho do país. Lá, estão todos os devedores inadimplentes em processo de execução trabalhista definitiva.
Uma das coisas mais importantes que uma empresa deve fazer é verificar semestralmente o status das suas obrigações tributárias. (Imagem: Ilustrativa)

Uma das coisas mais importantes que uma empresa deve fazer é verificar semestralmente o status das suas obrigações tributárias. (Imagem: Ilustrativa)

 

Quais os impactos do coronavírus nos negócios de eventos empresariais

Prorrogado o prazo do Simples Nacional 2021. Saiba tudo

PAGAMENTOS SEM ATRASOS

Outro problema que gera muita dor de cabeça entre os empresários são os atrasos com o importo de renda. É essencial realizar os pagamentos dos tributos nas datas corretas, e se possível for, antes dos vencimentos.

AUTOMATIZAR O SISTEMA

A automatização do sistema permite calcular as alíquotas que recairão sobre as transações. Dessa forma, os gestores não precisam realizar os cálculos manualmente.

A utilização dessa ferramenta permite que a empresa tenha uma noção muito mais objetiva e analítica dos seus deveres e gastos tributários.

Conheça a Fiscalizo contabilidade e siga a gente pelas redes sociais Instagram, Facebook, Youtube.

CLT ou PJ. Qual a melhor forma de trabalho?

Receita Federal exige devolução do Auxílio Emergencial. Saiba mais.

CLT ou PJ. Qual a melhor forma de trabalho?

Embora uma grande parcela da população coloque CLT e PJ nas categorias de “regimes de contratação”, a verdade é que são modelos completamente diferentes. E neste artigo iremos te explicar isso detalhadamente.

Antes de mais nada, é importante destacar que ser contrato como Pessoa Jurídica para vaga de emprego não é permitido por lei. A pejotização é ilegal, e ao contrário do que muita gente pensa, isso não mudou com a reforma trabalhista.

O QUE É CLT?

CLT é a sigla para Consolidação das Leis do Trabalho: um instrumento que institui as normas que regulam as relações individuais e coletivas de trabalho no Brasil, aprovado pelo decreto-lei nº 5.452, de 1943, e modificado por atualizações e reformas – como a trabalhista, de 2017. Basicamente, quando existe um vínculo de emprego entre trabalhador urbano – aquele que não exerce atividade agroeconômica – e empregador, a

CLT se aplica. Por isso esses profissionais também são chamados de celetistas.

Embora uma grande parcela da população coloque CLT e PJ nas categorias de “regimes de contratação”, a verdade é que são modelos completamente diferentes. (foto: Ilustrativa)
Embora uma grande parcela da população coloque CLT e PJ nas categorias de “regimes de contratação”, a verdade é que são modelos completamente diferentes. (foto: Ilustrativa)

Receita Federal exige devolução do Auxílio Emergencial. Saiba mais.

Tudo o que precisa saber sobre o Imposto de Renda 2021

E O QUE CARACTERIZA UM VÍNCULO DE EMPREGO?

  • Atuar como pessoa física;
  • Prestar serviço com pessoalidade – ou seja, o trabalho deve ser realizado por uma pessoa específica, contratada para aquilo;
  • Seguir as normas do empregador, numa relação de subordinação;
  • Receber um salário pelo serviço prestado;
  • Prestar serviço não eventual – todos os dias ou com uma periodicidade específica, exceto no caso do trabalho intermitente.

Na CLT, o empregador pode ser uma empresa individual ou coletiva, profissional liberal, associação ou qualquer outra organização que admite empregados.

O QUE É PJ?

É o termo que se dá para quem presta serviços como Pessoa Jurídica e não Pessoa Física.

Geralmente, trabalhar como PJ significa ser “funcionário” de uma empresa, mas contratado como Pessoa Jurídica – o famoso empregado pejotizado.

Neste caso, o trabalhador tem uma empresa aberta que é contratada para prestar serviço à contratante.

Apesar do pagamento da PJ não ter os descontos da CLT, você também não terá direito aos benefícios do celetista, como 13º salário, férias remuneradas, FGTS e até o vale-refeição. Por isso, é importante entender se, como Pessoa Jurídica, você terá uma renda compatível ou superior à soma de todos esses benefícios. Caso contrário, a troca pode não valer a pena.

Embora uma grande parcela da população coloque CLT e PJ nas categorias de “regimes de contratação”, a verdade é que são modelos completamente diferentes. (foto: Ilustrativa)
Embora uma grande parcela da população coloque CLT e PJ nas categorias de “regimes de contratação”, a verdade é que são modelos completamente diferentes. (foto: Ilustrativa)

Sua empresa precisa de um contador. Saiba por quê

Saiba como irá funcionar a adesão e prazos do Simples Nacional em 2021

QUAL DEVO ESCOLHER?

Apesar do pagamento da PJ não ter os descontos da CLT, você também não terá direito aos benefícios do celetista, como 13º salário, férias remuneradas, FGTS e até o vale-refeição. Por isso, é importante entender se, como Pessoa Jurídica, você terá uma renda compatível ou superior à soma de todos esses benefícios. Caso contrário, a troca pode não valer a pena.

Como PJ, você terá liberdade para organizar sua rotina e atuar em diferentes projetos ao mesmo tempo, mas, caso fique um mês de férias, sem trabalhar, também vai ficar sem receber. É necessário conseguir se planejar para navegar por esses momentos – senão, talvez seja melhor continuar como celetista.

No momento de escolher qual a melhor opção para você deve-se ter consciência dos prós e contras de ambos, e buscar ter sabedoria no momento da escolha.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e tenha um dos melhores escritórios do país ao seu lado. Siga as nossas redes sociais InstagramFacebookLinkedin e Youtube.

 

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

É muito comum em diversos lugares do mundo as interrupções das atividades das empresas. Esse tipo de situação recebe o nome de “Férias Coletivas”. Entretanto, mesmo sendo algo muito comum, algumas empresas têm dificuldade de entender como ela funciona. Neste post vamos explicar tudo.

COMO FUNCIONA?

O repouso remunerado nem sempre abrangem toda a empresa e, dependendo da forma de funcionamento da companhia e de sua organização, pode haver interrupção de apenas alguns setores ou departamentos. No entanto, todos os colaboradores do setor escolhido precisam receber a concessão do descanso.

QUEM TEM DIREITO?

Todos os funcionários da empresa poderão ser contemplados com as férias coletivas. Mas vale destacar quer isso não significa que a empresa tem a obrigação beneficiar todos os seus colaboradores. A mesmo é de a empresa oferecer o gozo de 30 dias de descanso por ao funcionário, seja coletivo ou não.

Férias coletivas é um período de repouso remunerado, concedido aos trabalhadores de uma empresa de forma conjunta. (Imagem: Ilustrativa)
Férias coletivas é um período de repouso remunerado, concedido aos trabalhadores de uma empresa de forma conjunta. (Imagem: Ilustrativa)

E O AVISO DE FÉRIAS?

Ao contrário do período de descanso individua, onde a empresa deve comunicar ao funcionário com pelo menos 30 dias de antecedência do início. A férias coletiva deve ser informada com pelo menos 15 dias de antecedência.

E O FUNCIONÁRIO COM MENOS DE 12 MESES?

No caso do trabalhador com menos de 12 meses completados na empresa, ele também poderá ser completado. Porém, o seu pagamento será proporcional ao período de descanso que ele tem por direito. Assim, o que passar disso, será considerado licença remunerada.

Férias coletivas é um período de repouso remunerado, concedido aos trabalhadores de uma empresa de forma conjunta. (Imagem: Ilustrativa)
Férias coletivas é um período de repouso remunerado, concedido aos trabalhadores de uma empresa de forma conjunta. (Imagem: Ilustrativa)

COMO DEVERÁ SER FEITO O PAGAMENTO?

Da mesma forma que as férias individuais, elas são pagas com um adicional de 1/3 do salário do trabalhador. Essa remuneração é feita com dois dias antes do início do período de repouso.

Procure uma contabilidade profissional e qualificada para fazer todos esses trâmites para a sua empresa.

Migre agora para a Fiscalizo e fique despreocupado com essas questões trabalhistas. Siga as nossas redes sociais Instagram, Facebook, LinkedIn e Youtube

 

Leia também

Pesquisa revela relação entre empresário e contador. Veja

Como escolher o melhor Regime Tributário para 2021

Efeitos da Pandemia sobre os cálculos do 13º salário

 

Boletos Bancários: Quais as vantagens e desvantagens?

Uma coisa, nós sabemos, os boletos bancários são uma das formas de pagamentos mais utilizada no território brasileiro. Isso porque, muitas lojas como e-commerces oferecem descontos para os clientes que optarem por esse meio de pagamento.

As taxas cobradas pelas instituições financeiras para a utilização do boleto como forma de pagamento em sua maioria, são mais baixas em comparação as transações com cartão. Além da praticidade e do menor custo, esta forma de pagamento é uma necessidade para uma parcela considerável da população.

De acordo ao IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 55 milhões de brasileiros adultos não possuem conta em banco. Eles são os chamados “desbancarizados” e representam mais de 40% dos maiores de 18 anos no país.

Neste artigo, tiraremos as suas dúvidas sobre esta forma de pagamento:

O QUE É BOLETO BANCÁRIO?

Boleto bancário é um meio de pagamento amplamente usado no Brasil, que permite a cobrança de valores. Tanto empresas, quanto pessoas físicas podem emitir esses títulos, desde que possuam conta bancária e contratem uma carteira de cobranças junto ao banco.

COMO FUNCIONA?

Para gerar um boleto de cobrança, o primeiro e mais importante passo é habilitar a sua conta corrente junto a instituição financeira. Por mais que pareça complicado. A emissão do boleto torna-se um processo natural para o empreendedor que já faz esse processo com frequência.

BOLETO SIMPLES OU COM REGISTRO?

O Modelo simples é emitido por uma empresa sem que o banco seja informado sobre quem irá pagar pela cobrança. Não há necessidade de identificar prazos e muito menos valores.

No caso da cobrança registrada, a empresa que vende precisa identificar e comunicar ao banco o nome e o CPF ou CNPJ do cliente. Preço e data limite de pagamento também são informados.

Apesar de haver diversas formas de pagamento, o boleto continua a ser vantajoso para micro e pequenas empresas, já que é uma alternativa rápida e simples. (Imagem: Ilustrativa)
Apesar de haver diversas formas de pagamento, o boleto continua a ser vantajoso para micro e pequenas empresas, já que é uma alternativa rápida e simples. (Imagem: Ilustrativa)

TIPOS

Os boletos podem ser apresentados como avulso ou carnê. O Avulso é um documento que permite cobrar por uma compra à vista, em uma única operação. Por outro lado, o carnê é o nome que se dá a uma sequência de boletos cobrando prestações de uma compra ou valores de uma assinatura, que são uma cobrança recorrente.

VANTAGENS DE USAR O BOLETO

Cartão de débito, cartão de crédito, paypal, pagseguros, bitcoin e etc. Apesar de haver diversas formas de pagamento atualmente – além da chegada do PIX – o boleto continua a ser vantajoso para micro e pequenas empresas, já que é uma alternativa rápida e simples.

  • Cobrar de forma impessoal, já que você pode fazer o envio do boleto por e-mail, ou enviá-lo impresso pelos correios.
  • Diversificar vias para receber a fim de facilitar a vida do cliente e evitar perda de vendas.
  • Cobrar mesmo de quem não tem conta bancária e muito menos cartão.
  • Reduzir custo de cobrança em comparação com tarifas de operadoras de cartão.
  • Cálculo facilitado de multas e juros.
  • Controle de recebimento.
  • Mais rapidez para receber o pagamento do que em relação a cartões, por exemplo.
  • Possibilidade de protesto em caso de não pagamento de mercadorias entregues ou serviços realizados.

Entre em contato com a equipe contábil da Fiscalizo Contabilidade e tire suas dúvidas. Sigam nossas redes sociais Facebook, Instagram, Linkedin e Youtube.

Você sabe qual a diferença entre MEI e ME?

Você que está pensando em abrir o seu próprio negócio, provavelmente está pensando como fazer para emitir um CPNJ. Bom! Para isso, existem algumas alternativas, que variam de acordo a sua estrutura. Você pode ser um MEI ou um ME. Mas, você sabe qual é a diferença entre ambos?

Muitas pessoas não sabem a diferença entre ser um Microempreendedor Individual (MEI) ou ser um Micro empresário (ME). Logo, entendemos as dificuldades dos novos empreendedores, neste artigo você entenderá exatamente tudo que diferencia um do outro.

O QUE É MEI?

É uma pessoa que passa a atuar por sua conta, ou seja, de maneira autônoma regularizado como um pequeno empresário.

Desde de 14 de dezembro de 2009 existe essa categoria, que determina que para ser um MEI, o empresário não pode ultrapassar o limite de faturamento anual de R$ 81.000,00. Além disso, para que possa ser configurado como MEI, a pessoa não poderá ser sócio de outras empresas.

Da mesma forma, além de responder dentro do regime Simples Nacional, o MEI também tem uma carga tributária bem reduzida, em outras palavras, é isento de impostos como os federais IR (Imposto de Renda), PIS, Confins, IPI e CSLL.

É mais fácil abrir contas e realizar empréstimos bancários, para regularizar o seu basta acessar o portal do Empreendedor – MEI.

Muitas pessoas não sabem a diferença entre ser um Microempreendedor Individual (MEI) ou ser um Micro empresário (ME). (Imagem: Ilustração)
Muitas pessoas não sabem a diferença entre ser um Microempreendedor Individual (MEI) ou ser um Micro empresário (ME). (Imagem: Ilustração)

O QUE É ME?

A microempresa pode ter um faturamento anual de até R$ 360.000,00. Portanto, sua estrutura é considerada mais robusta do que o MEI.

Regulamenta em 10 de novembro de 2011, para fazer o cadastro como ME, é necessário ir até a Junta Comercial. Depois poderá escolher entre o Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido em relação ao regime de tributos.

AS DIFERENÇAS

Existem algumas diferenças:

  • Registro e Formalização: Aqui, para o MEI é muito mais facilitada que o ME, pois, tem uma burocracia mais complicada.
  • Tributação: Enquanto o MEI paga um valor tributário fixo e mensal, porém, o ME paga um valor de acordo a sua receita.
  • Colaboradores: O MEI poderá ter apenas um funcionário, enquanto o ME poderá contar com uma equipe maior de colaboradores.

Portanto, é extremamente importante saber as diferenças entre MEI e ME. Depois disso, é importante ter também uma noção fiscal, visto que os processos fiscais demanda bastante atenção e eficiência no acompanhamento.

Abra a sua empresa GRÁTIS, aqui na Fiscalizo,  e tenha contabilidade por apenas R$ 69,90. Siga nossas redes sociais Facebook, Instagram e Linkedin.

Entenda como a relação entre o cliente e o contador pode ser um diferencial para o sucesso do negócio

Quando se fala em diferencial entre o cliente e o contador, muitos se questionam que tipo de relacionamento poderia ser este, afinal de contas, no ramo dos escritórios de contabilidade onde todos oferecem os mesmos serviços, o único diferencial visível seria os preços, colocando assim, outro item bastante importante de lado, o relacionamento.

Especialistas afirmam que a diferenciação entre o preço e principalmente o atendimento, fazem um cliente pagar mais caro por determinado serviço.

Em 2017 o sócio da NTW Contabilidade e autor de livros de sucesso como “Big Brother Fiscal”, o contador Roberto Dias Duarte, fez uma pesquisa com quase 400 pessoas para saber os novos desafios que os escritórios de contabilidade enfrentam.

Nela, constou que 56% das empresas acreditavam que a excelência no atendimento seria um aspecto competitivo em suas operações, contra 70% que acreditavam que o cumprimento rigoroso dos serviços de assessoria seria um grande diferencial.

Estabelecer uma bela rotina de comunicação saudável te permite esclarecer dúvidas nos clientes, antes mesmo que elas venham a existir, isso melhora o seu dia a dia, dos seus clientes e de sua equipe.

É importante destacar que é importante ser relevante em seus contatos, e além de tudo, se você perceber que o cliente não entendeu a sua mensagem, repita a informação de forma que ele entenda exatamente o que você tem a dizer.

Dentre os assuntos mais importantes que você pode tratar com o seu cliente são;

no ramo dos escritórios de contabilidade onde todos oferecem os mesmos serviços, o único diferencial visível seria os preços, colocando assim, outro item bastante importante de lado, o relacionamento.
Estabelecer uma bela rotina de comunicação saudável entre o contador e o cliente permite esclarecer dúvidas (Imagem: Ilustrativa)

Esclarecimento de legislação e obrigações

Busque sempre facilitar a vida do cliente para que ele possa sentir-se seguro e preparado para atender a todas as exigências previstas, deixando claro quais ações ele deve tomar e quando. logo, você também passará a ser percebido para além da operação fiscal.

Alerta sobre prazos

Use a tecnologia como sua maior aliada para evitar esquecimentos e reduzir o tempo com a digitação dos lançamentos contábeis.

Como muitos clientes já fazem os lançamentos de recebimento, pagamento e a conciliação dentro de um sistema de gestão, você pode acessar esses dados e exportá-los diretamente para o seu sistema contábil, ganhando um tempo incrível.

Orientações e Dicas

Marcar uma reunião (presencial ou online) para acompanhar seu cliente na realização de uma tarefa pode ser essencial e muito interessante no relacionamento, onde você pode mostrar qual é o documento hábil necessário para realizar cada lançamento fiscal e como ele deve fazer essa atividade de maneira correta e entre outros assuntos.

Fale com a equipe de contabilidade da Fiscalizo, eles irão te auxiliar da melhor forma. Siga as nossas redes sociais como Instagram, Facebook, Linkedin, WhatsApp ou até mesmo pelo nosso site.

 

Suporte