Os novos Jovens empreendedores do Brasil

Se antes o jovem queria apenas entrar no mercado de trabalho em uma carreira que garantisse uma boa estabilidade financeira, hoje esse profissional quer muito mais. O conceito de sucesso é outro. A concepção de sucesso é poder ter os finais de semana, feriados e férias em paz sem precisar pensar em trabalho. Não é possível enxergar sucesso em alguém sem tempo, porque trabalha muito, ou que ganhou tanto dinheiro que não consegue. Esses são os jovens empreendedores que estão mudando o mercado de trabalho no Brasil.

A importância de o jovem entender o contexto, se adaptar a ele, buscar um sentido. E mais: para a empreendedora, estudar não é mais só cursar uma faculdade, mas sim viver em um ciclo de aprendizagem constante.  A sociedade precisa apostar em outras frentes, pessoas, ideologias. 

A única coisa que cresce de forma exponencial (rápida demais) são empresas. A mente precisa conseguir acompanhar por que ai então todo setor privado e público podem conseguir criar territórios que não façam a manutenção dos velhos costumes, como o racismo, machismo, lgbtfobia, xenofobia etc.

Cada pessoa tem o seu caminho e sua forma de fazer acontecer e criar negócios sociais.  Negócio não é para agradar ao criador, mas sim para resolver um problema real. Se a solução que criarmos, realmente tem demanda para ser atendida, faz sentido colocar no mundo. Fora isso, minha empresa não precisa existir. 

Estamos acostumados a pensar em curto prazo e no formato de concorrência. Isso não garante que nosso negócio vai sobreviver no futuro. É necessário pararmos um pouco e analisar cenários futuros da área de atuação dos nossos negócios. Eu, por exemplo, crio todo ano, pelo menos, quatro cenários futuros da área de comunicação, tecnologia e futuro. Assim eu consigo vislumbrar o que pode acontecer com tantas transformações rápidas e poder me preparar.  

Colocar energia naquilo que realmente acredito ser uma solução tangível e desapegar as criações quando elas não ficam em pé. Sobre propósito, todo mundo tem um. Tem gente que o propósito imediato é conseguir o dinheiro para a comida do dia. Tem gente que tem a médio prazo que é entrar na faculdade.  

Ou seja, mesmo faturando e lucrando com meus negócios, eu continuo sendo uma mulher negra. Isso significa que continuarei tendo dificuldades na hora de negociar, que as pessoas não me enxergam como a dona do negócio.

Como abrir sua empresa?

Segundo estatísticas, apenas dois terços das empresas que são abertas continuam a funcionar após 5 anos, o desafio de manter uma empresa é real, mas pode ser atenuado caso você tenha feito um plano de negócios antes abrir sua empresa.

Você não pode se tornar um empresário da noite para o dia, pois existe a necessidade de entender o que você quer, qual mercado vai seguir e acima de tudo seguir todas as etapas necessárias ao iniciar o seu negócio, que pode ser a base do sucesso.

Aqui estão 10 etapas necessárias para iniciar um negócio com sucesso. Dê um passo de cada vez, e você estará no caminho certo para a propriedade bem-sucedida de pequenas empresas.

Etapa 1: faça sua pesquisa

O mais provável é que você já tenha identificado uma ideia de negócio, então agora é hora de equilibrar isso com um pouco de realidade. Sua ideia tem potencial para ter sucesso? Você precisará executar sua ideia de negócio por meio de um processo de validação antes de prosseguir.

Para que uma pequena empresa seja bem-sucedida, ela deve resolver um problema, suprir uma necessidade ou oferecer algo que o mercado queira.

Há várias maneiras de identificar essa necessidade, incluindo pesquisa, grupos de foco e até tentativa e erro. Conforme você explora o mercado, algumas das perguntas que você deve responder incluem:

Há necessidade de seus produtos / serviços previstos?

Quem precisa disso?

Existem outras empresas que oferecem produtos / serviços similares agora?

Como é a competição?

Como seu negócio se encaixará no mercado?

Não se esqueça de fazer algumas perguntas a você mesmo, sobre começar um negócio antes de mergulhar.

Etapa 2: faça um plano

Você precisa de um plano para transformar sua ideia de negócio em realidade. Um plano de negócios é um plano que orientará sua empresa desde a fase inicial até o estabelecimento e, eventualmente, o crescimento dos negócios, e é imprescindível para todos os novos negócios.

A boa notícia é que existem diferentes tipos de planos de negócios para diferentes tipos de negócios.

Se você pretende buscar apoio financeiro de um investidor ou instituição financeira, um plano de negócios tradicional é uma obrigação. Esse tipo de plano de negócios é geralmente longo e completo e tem um conjunto comum de seções que investidores e bancos procuram quando validam sua ideia.

Se você não pretende buscar apoio financeiro, um simples plano de negócios de uma página pode lhe dar clareza sobre o que você espera alcançar e como você planeja fazê-lo. Na verdade, você pode até mesmo criar um plano de negócios trabalhando na parte de trás de um guardanapo e melhorá-lo ao longo do tempo. Algum tipo de plano por escrito é sempre melhor que nada.

Etapa 3: planeje suas finanças

Começar um pequeno negócio não precisa exigir muito dinheiro, mas isso envolverá algum investimento inicial, bem como a capacidade de cobrir as despesas em curso antes que você esteja obtendo lucro. Montar uma planilha que calcule os custos iniciais para sua empresa (licenças e autorizações, equipamentos, honorários legais, seguros, branding, pesquisa de mercado, inventário, trademarking, eventos de inauguração, arrendamento de propriedades, etc.), bem como O que você espera que você precisa para manter o seu negócio funcionando por pelo menos 12 meses (aluguel, utilitários, marketing e publicidade, produção, suprimentos, despesas de viagem, salários dos empregados, seu próprio salário, etc.).

Esses números combinados é o investimento inicial que você precisará.

Agora que você tem um número aproximado em mente, há várias maneiras de financiar sua pequena empresa, incluindo:

Financiamento

Empréstimos para pequenas empresas

Subsídios para pequenas empresas

Investidores anjo

Financiamento colaborativo

Você também pode tentar tirar o seu negócio do chão, usando o mínimo de capital necessário para iniciar o seu negócio. Você pode achar que uma combinação dos caminhos listados acima funciona melhor. O objetivo aqui, no entanto, é trabalhar com as opções e criar um plano para configurar o capital necessário para que sua empresa saia do papel.

Etapa 4: escolha uma estrutura de negócios

Sua pequena empresa pode ser uma sociedade unipessoal, uma sociedade, uma sociedade de responsabilidade limitada (LLC) ou uma corporação. A entidade comercial escolhida afetará muitos fatores, desde o nome da sua empresa até a sua responsabilidade, até a forma como você arquiva seus impostos.

Você pode escolher uma estrutura de negócios inicial e depois reavaliar e alterar sua estrutura à medida que sua empresa cresce e precisa ser alterada.

Dependendo da complexidade do seu negócio, pode valer a pena investir em uma consulta de um advogado ou CPA para garantir que você está fazendo a escolha de estrutura certa para o seu negócio.

Etapa 5: escolha e registre o nome da sua empresa

O nome da sua empresa desempenha um papel em quase todos os aspectos do seu negócio, então você quer que seja um bom negócio. Certifique-se de pensar em todas as possíveis implicações ao explorar suas opções e escolher o nome da sua empresa.

Depois de escolher um nome para sua empresa, você precisará verificar se está registrado ou em uso no momento. Então, você precisará registrá-lo. Um único proprietário deve registrar o nome da empresa com o funcionário do estado ou do condado. Corporações, LLCs ou sociedades limitadas normalmente registram suas nome da empresa quando a documentação de formação é arquivada.

Não se esqueça de registrar seu nome de domínio depois de ter selecionado o nome da sua empresa. Tente estas opções se o seu nome de domínio ideal for escolhido.

Etapa 6: obtenha licenças e permissões

A papelada é parte do processo quando você inicia seu próprio negócio.

Há uma variedade de licenças e permissões para pequenas empresas que podem se aplicar à sua situação, dependendo do tipo de empresa que você está iniciando e de onde você está. Você precisará pesquisar quais licenças e autorizações se aplicam à sua empresa durante o processo de inicialização.

Etapa 7: escolha seu sistema de contabilidade

As pequenas empresas funcionam de forma mais eficaz quando existem sistemas em funcionamento. Um dos sistemas mais importantes para uma pequena empresa é um sistema contábil.

Seu sistema de contabilidade é necessário para criar e gerenciar seu orçamento, definir suas tarifas e preços, realizar negócios com outras pessoas e arquivar seus impostos. Você pode configurar seu sistema contábil por conta própria ou contratar um contador para tirar algumas das suposições. Se você decidir começar por conta própria, certifique-se de considerar essas questões que são vitais ao escolher o software de contabilidade.

Etapa 8: configure o local da sua empresa

A configuração do seu local de trabalho é importante para a operação do seu negócio, quer você tenha um escritório em casa, um espaço de escritório compartilhado ou particular ou um local de varejo.

Você precisará pensar sobre sua localização, equipamentos e configuração geral e verificar se o local de sua empresa funciona para o tipo de negócio que você fará. Você também precisará considerar se faz mais sentido comprar ou arrendar seu espaço comercial.

Passo 9: Prepare sua equipe

Se você vai contratar funcionários, agora é a hora de iniciar o processo. Certifique-se de ter tempo para descrever as posições que você precisa preencher e as responsabilidades do trabalho que fazem parte de cada posição. A Administração de Pequenas Empresas tem um excelente guia para contratar seu primeiro funcionário que é útil para novos proprietários de pequenas empresas.

Se você não está contratando funcionários, mas terceirizando o trabalho para prestadores de serviços independentes, agora é a hora de trabalhar com um advogado para obter seu contrato de contratante independente e iniciar sua pesquisa.

Por último, se você é um verdadeiro empresário sozinho, você pode não precisar de funcionários ou contratados, mas você ainda precisará de sua própria equipe de suporte. Essa equipe pode ser composta por um mentor, um técnico de pequenas empresas ou até mesmo sua família, e serve como seu recurso para aconselhamento, motivação e tranquilidade quando a estrada fica irregular.

Etapa 10: promova sua pequena empresa

Uma vez que seu negócio está funcionando, você precisa começar a atrair clientes e clientes. Você vai querer começar com o básico, escrevendo uma proposta única de venda (USP) e criando um plano de marketing. Em seguida, explore o máximo possível de ideias de marketing para pequenas empresas para poder decidir como promover sua empresa com mais eficiência.

Depois de concluir essas atividades de negócios, você terá todas as bases mais importantes cobertas. Tenha em mente que o sucesso não acontece durante a noite. Mas use o plano que você criou para trabalhar consistentemente em seus negócios e você aumentará suas chances de sucesso.

Como Empreender e Comunicar

Normalmente os empreendedores não entendem ou não pertencem à área de comunicação e associam o papel do comunicador apenas ao ato de falar em público e/ou aos funcionários sobre assuntos que afetam a empresa, porém a realidade é que o trabalho de um profissional de comunicação é tão importante quando ele se pronuncia quanto quando ele não se pronuncia.

Decidir se deve falar ou não é o primeiro passo. Depois disso, é preciso escolher o que dizer – definir a mensagem da empresa e comunicá-la.

A propósito, quando é dito “não falar”, não quer dizer que você deve lançar o tradicional “sem comentários” quando questionado sobre um tema sensível, esse é um argumento inútil, que gera muitos problemas, o que queremos dizer em não falar é no sentido literal de permanecer quieto ou escolher falar apenas sobre alguns tópicos específicos.

A reputação de uma empresa é construída com base nas percepções das pessoas. Você pode influenciar ou moldar essa reputação criando ideias positivas sobre ela. Dizer a coisa certa no lugar certo, na hora certa, sempre ajuda. E, às vezes, não falar nada pode fazer uma grande diferença.

Confira algumas situações onde a comunicação deve ser seguida à risca para não comprometer os resultados:

1. Quando a atividade futura, o investimento ou os resultados não estão 100% confirmados ou dependem de fatores fora de seu controle

Este é um caso que merece um “não”. Estamos falando de informações que afetam diretamente a integridade da sua empresa se você não puder cumprir uma promessa ou se os resultados previamente comunicados estiverem errados. Às vezes é difícil recusar, já que, normalmente, o líder de negócios está absolutamente certo de que o investimento acontecerá. Mas, como você sabe, às vezes as coisas podem parecer mais seguras do que são.

 2. Quando a comunicação pode potencialmente despertar atenção indesejada

Imagine a situação: um grande problema está se desdobrando em sua indústria ou setor. É negativo, mas, felizmente, não é sobre a sua empresa especificamente. No entanto, nos estágios iniciais, você é mencionado (embora superficialmente) como uma das empresas que operam nesse setor, mas sem alegações.

Este é um cenário complicado. O instinto humano natural é limpar sua imagem, afirmando orgulhosamente que você não é um dos vilões. Colocar seu o nome nesse mix pode ser um tiro que sai pela culatra.

3. Quando a comunicação não tem nenhuma relação com os objetivos da empresa

O fato de um tópico ser de interesse pessoal não significa que você deva se envolver em nome da empresa. O que as pessoas fazem em seu tempo fora da empresa é, em grande parte, de sua conta, mas o que um executivo diz em nome dela deve ter um objetivo claro.

4. Quando a empresa é legalmente proibida de comentar

Acho que isso é óbvio. Por exemplo: é importante não falar quando uma questão está correndo em um tribunal. Também é importante obedecer ao “período de silêncio” da empresa – as quatro semanas anteriores ao fechamento do trimestre, quando os executivos da empresa são proibidos de falar ao público sobre os negócios, para evitar dar detalhes que possam ser classificados como informações privilegiadas. Essa regra também se aplica quando uma empresa está emitindo uma oferta pública inicial de ações (IPO).

5. Quando questionado sobre uma empresa concorrente

Comentar sobre as operações de negócios de um concorrente é, na melhor das hipóteses, pedante, mas pode entrar no âmbito da ação legal caso o comentário seja negativo. Você não é uma autoridade nas iniciativas de outra empresa. Exceto quando envolver um problema social significativo, meu conselho é manter seus comentários para si mesmo.

6. Quando envolve religião e política

As empresas podem sim se posicionar sobre determinadas questões, mas endossar a ideologia de um candidato político ou dizer algo negativo sobre uma religião não é apropriado. Fique longe disso.

7. Quando é mais importante respeitar a privacidade e/ou a dignidade de uma pessoa

Isso acontece frequentemente em um contexto interno de comunicação entre funcionários, mas, às vezes, também em comunicações externas. Por exemplo: quando um funcionário é demitido ou deixa uma empresa em circunstâncias desagradáveis. Lembre-se do velho ditado: “Se você não pode dizer algo legal, não diga nada!”.

Gostaram do assunto? Tem alguma dica para ajudar outros empreendedores? Fale conosco, ficaremos gratos de disseminar mais dicas importantes no mundo dos negócios.

Dicas Para Empreender Sem Exageros

Quando se é um empreendedor responsável pelo desenvolvimento de um negócio e tudo que o envolve – como clientes, prestadores, negociações e administração de caixa –, a sensação de pressão tende a ser maior e muito constante, por isso trouxemos algumas dicas para empreender sem exageros.

Mas, para que tudo corra bem e você consiga manter o foco no excelente desempenho de sua empresa, é importante saber lidar com as imposições do dia a dia. Trazemos aqui algumas dicas para simplificar sua vida. Sua saúde mental agradece.

A partir do minuto em que você começar a trabalhar, esteja por completo nas tarefas de seu projeto, empenhe-se em deixar de lado os problemas de casa, da família, do veículo e entre outros e focalize no trabalho.

O contrário também é verdadeiro: quando finalizar o expediente, esqueça as questões da empresa e se dedique aos outros pontos importantes da sua vida.

Planeje as etapas de cada atividade para obter sucesso em todas as áreas sem sustos. Desta forma, você também será capaz de identificar a tempo se alguma coisa estiver fora do planejado e de montar planos B para solucionar a situação.

Ao identificar que para manter os compromissos profissionais em dia você está deixando a vida particular de lado ou seu corpo está mostrando sinais de estresse excessivo (dores de cabeça, problemas nas costas, distúrbios do sono, entre outros), recorra ao auxílio de um/a assistente.

Se você se sentir inseguro com a ideia de outra pessoa gerenciar seu negócio, passe a ela tarefas automáticas, como o abastecimento de materiais de escritório e os contatos telefônicos com clientes e prestadores. O importante é retirar um pouco do peso das suas costas.

Tenha em mente: corpo são, mente sã – e ambos preparados para lidar melhor com as imposições

Não se cobre de modo excessivo

Já bastam as cobranças exteriores. Dê o seu melhor, seja organizado, realize teus cronogramas e siga em frente com a consciência tranquila e calma.

Noites bem dormidas são importantes para a mente realizar as liberações de hormônios de acordo com nossas necessidades e o organismo conquistar o equilíbrio e as funções do corpo relaxado.

Se você não dormir as horas indispensáveis por noite (recomenda-se em média de sete horas para um adulto médio) ou tiver noites de sono não restauradoras (aquelas das quais você já acorda cansado), não estará completamente recuperado para um novo dia de trabalho, sujeito a não conseguir lidar com pressões normais da rotina do empreendedor.

Scroll Up
Suporte Especializado