Sua empresa precisa de um contador. Saiba por quê

Por falta de conhecimento, volta e meia, alguns novos empresários tendem a ignorar a contabilidade quando vai planejar a administração do seu negócio. Entende-se que isso geralmente acontece por falta de experiência ou conhecimento do mesmo com um contador.

Porém, a função do contador ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa. Isso porque, o atraso ou descumprimento de alguma obrigação fiscal poderá resultar em multas, juros, penalidades, ou bloqueio da inscrição da empresa, trazendo transtornos, e graves prejuízos.

Veja abaixo alguns motivos para você ter uma contabilidade.

OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

Geralmente, as empresas que estão dentro da lei contam com obrigações principais ou acessórias.

As principais são os recolhimentos de impostos ou contribuições, já as acessórias são um dever atribuído com as declarações, elas podem ser mensais, trimestrais, semestrais, anuais ou até diárias, de acordo em quando ocorreu o fato a ser declarado.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

COMPETÊNCIAS

As obrigações acessórias passeiam por todas as áreas do governo e suas competências podem ser Federal, Estadual e Municipal.

REGIMES TRIBUTÁRIOS

Esses são opcionais e podem ser adotados e modificados sempre no início do ano. São eles o Lucro Real, Lucro Presumido, Regimes de Tributação de ISS e Simples Nacional.

TIPOS DE OBRIGAÇÕES

As obrigações acessórias trabalhistas são obrigações acerca dos impostos e contribuições que incidem sobre a folha de pagamento e sobre os impostos como FGTS, INSS e outros.

CAGED

Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, é com ele que o Ministério público acompanha a mão de obra formal no país.

SEFIP

Sistema Empresa de Recolhimento de FGTS e passa informações à Previdência Social.

GFIP

Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

E-SOCIAL

Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas. É uma declaração que unifica o envio de dados sobre os trabalhadores em um site. O prazo do envio do E-Social é até o dia 15 do mês seguinte para a folha de pagamento mensal, e até o dia 20 de dezembro para pagamento do 13° salário.

REINF

Escrituração Fiscal Digital de Retenções e outras Informações Fiscais. Utilizado e obrigatório às pessoas físicas e jurídicas, em complemento do E-Social. São responsáveis pelos recolhimentos e retenções de impostos como PIS, COFINS, INSS, CSLL E IR.

RAIS

Relação Anual de Informações Sociais. Ela permite que o governo possa controlar as atividades trabalhistas no Brasil.

DIRF

Declaração do Imposto sobre a Renda Retida na Fonte, que cuida dos incidentes nos pagamentos e recebimentos das empresas.

DCTF

Declaração de Débitos Tributários Federais. Sua função é ser uma declaração de competência à União, além de conter todas as informações relacionadas aos impostos federais e deve ser entregue até o 15° dia útil do mês a competência do tributo.

ECD

Escrituração Contábil Digital, outra obrigação de competência da União. Ela gira em torno das obrigações e escrituração contábil como livros diários, livro Razão, Livro Balancetes Diários, Balanços e as fichas de lançamentos.

ECF

Escrituração Contábil Fiscal, é uma obrigação que substitui a DIPJ desde 2014. Fornece informações pertencentes as operações que interferem na base cálculo e no valor devido de IRPJ e da CSLL.

EFD ICMS/IPI

Faz parte das obrigações acessórias estaduais, mas também inclui informações aos IPI, pois são impostos escriturados nos livros de entrada e saída. Ela também inclui informações sobre a apuração e cálculos de ICMS e IPI, além de ser considerado uma das maiores obrigações acessórias em volume de arquivos enviados. O Prazo pode variar de acordo com a legislação de cada estado.

GIA

Guia de Informações e Apuração de ICMS. Ela é utilizada para informar ao governo o resumo das operações fiscais e o cálculo do ICMS.

DEFIS

Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais. Tem como função comunicar e comprovar ao governo as informações contábeis relativas às empresas optantes pelo Simples Nacional. Como despesas, Informações do Estoque, Distribuição Societária, Quantidade de funcionários no período, entre outras. Seu prazo é até 31 de março, no ano subsequente ao da ocorrência.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

DeSTDA

A sigla DeSTDA significa Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de alíquota e Antecipação. Trata-se de uma obrigação acessória de competência estadual. Seu envio e apuração é feito mensalmente.

DES

Declaração Econômica de Serviços. Ela possui diversas variações, isso porque cada município determina a sua ferramenta de preenchimento e seu prazo para transmissão.

SISCOSERV

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzem Variações no Patrimônio. Controla os dados dos serviços de importações e exportações.

DMED

Declaração de Serviços Médicos. É uma obrigação para médicos, dentistas, terapeutas, psicólogos, e quaisquer profissionais ligados a saúde.

DIMOB

Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias. Uma obrigação entregue anualmente para Receita Federal. Somente são obrigadas as empresas que intermedeiam, incorporam ou alugam imóveis.

Cuidar de todas essas obrigações para que a sua empresa esteja dentro das leis é papel do contador, ou do escritório de contabilidade. Por isso todo empreendimento necessita de um contador.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e tenha um dos melhores escritórios do país ao seu lado. Siga as nossas redes sociais Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube.

 

Leia também

Pesquisa revela relação entre empresário e contador. Veja

Saiba as diferenças entre sócio – administrador e sócio – quotista

Saiba a importância do Departamento Pessoal para uma empresa

Conheça o SEFAZ e veja porque você precisa dele

O QUE É PRO-LABORE?

Conhecer os diferentes conceitos é muito importante para as escolhas estratégicas da remuneração dos executivos, pois afeta diretamente os planos tributário e financeiro da empresa. Não só é vista como uma forma de remuneração dos sócios ou dirigentes, mas também é necessário compreender o impacto dessas escolhas de gestão na empresa. Para ajudá-lo a completar esta tarefa, listamos as informações mais relevantes sobre este tópico.

O QUE É PRÓ-LABORE?

Deve-se entender que uma empresa tem regimes diferenciados para remunerar um sócio, um executivo e um empregado. Pois, entre esses três, temos funções, responsabilidades e comprometimentos diferentes.

Você sabe o que é pró-labore? Então iremos te explicar. (Foto: Ilustrativa)
Você sabe o que é pró-labore? Então iremos te explicar. (Foto: Ilustrativa)

Ou seja, a expressão significa “pelo trabalho”. Isso quer dizer que ele se baseia exatamente nas atividades desempenhadas e seu valor de mercado, contabilizadas como despesa administrativa. Ele é como o salário da alta liderança, mas sem ser encarado como salário pela ótica das leis trabalhistas. Ele orienta quanto à remuneração dos sócios nos custos da empresa.

Um empregado, por exemplo, recebe salário, 13º, FGTS, benefícios e, eventualmente, participação nos lucros. Um sócio que não exerce funções de administração (ou seja, que contribuiu apenas com o capital para o funcionamento da empresa) recebe distribuição de lucros ou dividendos, ou juros sobre o capital próprio (que contribuiu para o estabelecimento da empresa).

É importante perceber que isso não significa que um sócio que receba juros sobre o capital que investiu na empresa não possa ser remunerado também com o pró-labore. Desde que ele exerça atividades de administração no dia a dia da empresa, é possível sim conciliar as duas formas de remuneração.

Você sabe o que é pró-labore? Então iremos te explicar. (Foto: Ilustrativa)
Você sabe o que é pró-labore? Então iremos te explicar. (Foto: Ilustrativa)

AS OBRIGAÇÕES DO PRÓ-LABORE

Antes de qualquer coisa, os administradores a quem será pago devem estar previstos no contrato social da empresa.

De acordo com o direito trabalhista, o pró-labore se difere do salário justamente porque, sobre essa remuneração, não são obrigatórios benefícios como FGTS, 13º salário, férias, entre outros.

Claro que esses benefícios também podem ser oferecidos aos administradores, por meio de um acordo entre a empresa e o administrador, mas o que normalmente acontece é o aumento da remuneração pró-labore, em vez da concessão de muitos benefícios trabalhistas. Assim, o pagamento de administradores acaba sendo mais alto do que o de empregados.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e siga as nossas redes sociais Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube.

Leia também:

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Entenda como aumentar suas vendas com o Pós-Venda

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Suporte