Como criar uma Startup do zero: instruções passo a passo

YouTube, Uber, Airbnb, LinkedIn – todas essas empresas populares começaram como startups. A chave do sucesso foram as ideias originais e a entrada oportuna no mercado. O empreendedorismo está no auge e qualquer um pode começar seu próprio negócio, seja uma confeitaria de bolos, um advogado robô ou lançar uma rede social para colegas de trabalho. Leia como iniciar um negócio do zero e veja o passo a passo neste artigo. No final, um bônus está esperando por você – três novas startups com um alto potencial, de acordo com a “Forbes”.

Por que começar um negócio do zero?

Você quer ter seu próprio negócio e não sabe por onde começar? Existem duas opções: desenvolver tudo do zero ou comprar um negócio pronto. Aqui estão três razões pelas quais a primeira opção é a melhor solução para iniciantes.

  1. Motivação:as startups de sucesso começaram com uma ideia: jovens empreendedores criando algo para solucionar algo que lhes faltava. Quando você está envolvido em um negócio adequado aos seus interesses ou experiência, trabalha com mais eficiência e confiança.
  2. Finanças:você está ciente de todos os riscos nos primeiros estágios e decide por si mesmo se investe seu capital, toma emprestado ou atrai investimento. Você pode continuar trabalhando por um tempo até que a startup gere uma renda estável.
  3. Controle:você não terá surpresas desagradáveis que podem vir de um antecessor: um empréstimo bancário, problemas de aluguel ou funcionários ineficazes.

Como criar uma Startup do zero: 8 etapas principais

Determine o seu valor

Faça uma lista do que você faz de melhor ou do que gosta de fazer. Como iniciar uma startup sem dinheiro? Pense no conhecimento e nas habilidades que você ainda não usou, mas que pode potencialmente monetizar. Por exemplo, você pode organizar viagens ou consegue explicar claramente tópicos complexos.

Faça a si mesmo estas perguntas:

Deseja mudar de negócio ou continuar a crescer na área em que você está trabalhando e familiarizado atualmente?

Você tem um hobby que pode ser transformado em renda?

Atualmente você tem conhecimento suficiente ou precisa de treinamento adicional?

Analise o mercado e selecione um nicho

Para escolher uma opção de negócio, você precisará analisar o mercado: leve em consideração o ambiente competitivo e o momento ideal do lançamento de um novo produto. Por exemplo, a Uber surgiu durante uma crise econômica, quando as pessoas precisavam de renda extra.

Leia como iniciar um negócio do zero e veja o passo a passo neste artigo. No final, um bônus está esperando por você – três novas startups com um alto potencial. (Imagem: Ilustrativa)
Leia como iniciar um negócio do zero e veja o passo a passo neste artigo. No final, um bônus está esperando por você – três novas startups com um alto potencial. (Imagem: Ilustrativa)

O que fazer:

Crie uma tabela detalhada dos concorrentes, liste os pontos fortes e fracos;

Teste o nicho escolhido: coloque anúncios na Internet, envie e-mails para clientes em potencial, crie um blog ou uma landing page e rastreie o tráfego;

Realizar pesquisa de palavras-chave nos motores de busca: analise o número de resultados para suas consultas;

Realizar pesquisas entre amigos, redes sociais ou fóruns.

Defina uma proposta de venda exclusiva (USP)

As vendas não serão eficazes sem uma proposta de venda exclusiva e sem a promoção da marca. Por que as pessoas deveriam escolher você? Qual é a sua proposta especial? Quais benefícios você oferece? O que seus clientes querem e quais problemas eles têm? Respondendo a essas perguntas de maneira breve e clara, você terá a sua USP.

Faça um plano de negócios

Um plano de negócios é um guia passo a passo para sua startup. Você descreve o produto, a USP, os concorrentes, os mercados, as metas, os cálculos financeiros e a estratégia de marketing.

Dica: não tente fazer um plano de negócios perfeito para cinco anos imediatamente. Um erro comum para iniciantes é se envolver muito no planejamento e não começar a agir. Considere apenas os detalhes que você precisará nos primeiros estágios: que tipo de capital inicial você possui, como e quando planeja obter lucro, se existem muitos concorrentes, qual estratégia de marca você usará, qual é a sua proposta exclusiva de venda. Após alguns meses, analise e ajuste a estratégia.

Cerque-se de profissionais

Uma equipe forte é um dos fatores de sucesso para uma startup. Você não poderá lidar sozinho com todas as tarefas. Por exemplo, no par de Steve Jobs e Steve Wozniak, o primeiro foi responsável pela promoção e o segundo, pela parte técnica da startup. Onde encontrar membros para a sua equipe:

observe atentamente sua família e amigos;

peça conselhos aos amigos;

publique a vaga para o trabalho na Internet: em sites de busca de emprego e em grupos especializados de mídia social.

Fazer publicidade e buscar clientes

Como iniciar um negócio? Fale sobre você e atraia clientes. Geralmente, os recursos para iniciantes são limitados, mas isso não deve impedi-lo, porque existem métodos de promoção gratuitos e eficazes. Comece com eles e depois vá para as ferramentas pagas. Use o máximo de canais:

boca a boca;

redes sociais;

site, blog ou landing page (página de destino);

artigos de convidados em blogs e mídia;

publicidade: direcionada, contextual, rádio ou imprensa;

participe de eventos temáticos, conheça potenciais parceiros e clientes.

Os elementos de publicidade são promovidos com os elementos de marca, como um slogan e um logo. Use-os em todos os canais de marketing: coloque o logotipo como imagem de perfil nas redes sociais, o coloque no site e o utilize também em campanhas publicitárias. Você pode criar por conta própria um logo e um slogan (isso exigirá habilidades de edição de fotos e conhecimento em design), pode contratar um designer ou, então, usar um gerador, como o criador de logo online Logaster.

Criar uma base de clientes

Você já reuniu uma pequena audiência ao seu redor. Agora você precisa conquistar a lealdade dela e manter o interesse na marca. Aqui estão algumas maneiras para isso:

seja ativo nas redes sociais: faça posts regularmente e dê feedback;

Leia como iniciar um negócio do zero e veja o passo a passo neste artigo. No final, um bônus está esperando por você – três novas startups com um alto potencial. (Imagem: Ilustrativa)
Leia como iniciar um negócio do zero e veja o passo a passo neste artigo. No final, um bônus está esperando por você – três novas startups com um alto potencial. (Imagem: Ilustrativa)

ofereça descontos para clientes regulares;

organize eventos para os feriados;

crie um newsletter por e-mail.

Analise os resultados e dimensione o seu negócio

Você tem clientes fiéis, uma renda estável e contatos profissionais? É hora de ajustar o seu plano de negócios, condensar o trabalho e definir novas metas.

Analise os erros. Pense no que você não considerou nos primeiros estágios e como corrigir isso.

Registre as suas conquistas. Lembre-se de como conseguiu: você pode usar as técnicas de sucesso no futuro.

Amplie a equipe. Contrate novos funcionários e delegue tarefas.

Amplie os negócios. Pergunte como estão os seus concorrentes e se outras startups apareceram no seu nicho. Talvez seja hora de lançar um novo produto, reformular o USP ou alterar sua estratégia de marketing.

Conclusão

Ao iniciar uma startup do zero, o principal é realizar uma análise preliminar cuidadosa: escolher um nicho, formular uma USP e fazer um plano de negócios. Essas tarefas podem levar mais de uma semana, mas aumentam muito as chances de sucesso.

Precisa de ideias para inspiração? A cada ano, os analistas da Forbes selecionam as 25 empresas que mais cresceram e estão se aproximando do primeiro bilhão. Aqui estão três startups da lista de 2019:

  • Chainalysis. O software rastreia como as pessoas usam criptomoedas. Essa tecnologia ajuda a evitar a lavagem de dinheiro e a encontrar criminosos.
  • Dave. O aplicativo de contabilidade de despesas alerta aos usuários sobre uma possível entrada no cheque especial. Foi baixado quase 10 milhões de vezes em dois anos.
  • Grove Collaborative. É concorrente da Amazon no mercado de comércio eletrônico. Vende apenas produtos naturais – de pasta de dente a enxugador.

Lembre-se, toda startup é baseada em uma ideia inovadora. Fique de olho nas tendências, observe o futuro e comunique-se ativamente com as pessoas para entender o que está faltando no mercado.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e siga as nossas redes sociais InstagramFacebookLinkedin e Youtube.

Leia também:

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Entenda como aumentar suas vendas com o Pós-Venda

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Sua empresa precisa de um contador. Saiba por quê

Por falta de conhecimento, volta e meia, alguns novos empresários tendem a ignorar a contabilidade quando vai planejar a administração do seu negócio. Entende-se que isso geralmente acontece por falta de experiência ou conhecimento do mesmo com um contador.

Porém, a função do contador ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa. Isso porque, o atraso ou descumprimento de alguma obrigação fiscal poderá resultar em multas, juros, penalidades, ou bloqueio da inscrição da empresa, trazendo transtornos, e graves prejuízos.

Veja abaixo alguns motivos para você ter uma contabilidade.

OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

Geralmente, as empresas que estão dentro da lei contam com obrigações principais ou acessórias.

As principais são os recolhimentos de impostos ou contribuições, já as acessórias são um dever atribuído com as declarações, elas podem ser mensais, trimestrais, semestrais, anuais ou até diárias, de acordo em quando ocorreu o fato a ser declarado.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

COMPETÊNCIAS

As obrigações acessórias passeiam por todas as áreas do governo e suas competências podem ser Federal, Estadual e Municipal.

REGIMES TRIBUTÁRIOS

Esses são opcionais e podem ser adotados e modificados sempre no início do ano. São eles o Lucro Real, Lucro Presumido, Regimes de Tributação de ISS e Simples Nacional.

TIPOS DE OBRIGAÇÕES

As obrigações acessórias trabalhistas são obrigações acerca dos impostos e contribuições que incidem sobre a folha de pagamento e sobre os impostos como FGTS, INSS e outros.

CAGED

Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, é com ele que o Ministério público acompanha a mão de obra formal no país.

SEFIP

Sistema Empresa de Recolhimento de FGTS e passa informações à Previdência Social.

GFIP

Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

E-SOCIAL

Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas. É uma declaração que unifica o envio de dados sobre os trabalhadores em um site. O prazo do envio do E-Social é até o dia 15 do mês seguinte para a folha de pagamento mensal, e até o dia 20 de dezembro para pagamento do 13° salário.

REINF

Escrituração Fiscal Digital de Retenções e outras Informações Fiscais. Utilizado e obrigatório às pessoas físicas e jurídicas, em complemento do E-Social. São responsáveis pelos recolhimentos e retenções de impostos como PIS, COFINS, INSS, CSLL E IR.

RAIS

Relação Anual de Informações Sociais. Ela permite que o governo possa controlar as atividades trabalhistas no Brasil.

DIRF

Declaração do Imposto sobre a Renda Retida na Fonte, que cuida dos incidentes nos pagamentos e recebimentos das empresas.

DCTF

Declaração de Débitos Tributários Federais. Sua função é ser uma declaração de competência à União, além de conter todas as informações relacionadas aos impostos federais e deve ser entregue até o 15° dia útil do mês a competência do tributo.

ECD

Escrituração Contábil Digital, outra obrigação de competência da União. Ela gira em torno das obrigações e escrituração contábil como livros diários, livro Razão, Livro Balancetes Diários, Balanços e as fichas de lançamentos.

ECF

Escrituração Contábil Fiscal, é uma obrigação que substitui a DIPJ desde 2014. Fornece informações pertencentes as operações que interferem na base cálculo e no valor devido de IRPJ e da CSLL.

EFD ICMS/IPI

Faz parte das obrigações acessórias estaduais, mas também inclui informações aos IPI, pois são impostos escriturados nos livros de entrada e saída. Ela também inclui informações sobre a apuração e cálculos de ICMS e IPI, além de ser considerado uma das maiores obrigações acessórias em volume de arquivos enviados. O Prazo pode variar de acordo com a legislação de cada estado.

GIA

Guia de Informações e Apuração de ICMS. Ela é utilizada para informar ao governo o resumo das operações fiscais e o cálculo do ICMS.

DEFIS

Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais. Tem como função comunicar e comprovar ao governo as informações contábeis relativas às empresas optantes pelo Simples Nacional. Como despesas, Informações do Estoque, Distribuição Societária, Quantidade de funcionários no período, entre outras. Seu prazo é até 31 de março, no ano subsequente ao da ocorrência.

A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)
A função do profissional contábil ou de um escritório de contabilidade é orientar tanto o empresário, quanto a empresa (Foto: Ilustrativa)

DeSTDA

A sigla DeSTDA significa Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de alíquota e Antecipação. Trata-se de uma obrigação acessória de competência estadual. Seu envio e apuração é feito mensalmente.

DES

Declaração Econômica de Serviços. Ela possui diversas variações, isso porque cada município determina a sua ferramenta de preenchimento e seu prazo para transmissão.

SISCOSERV

Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzem Variações no Patrimônio. Controla os dados dos serviços de importações e exportações.

DMED

Declaração de Serviços Médicos. É uma obrigação para médicos, dentistas, terapeutas, psicólogos, e quaisquer profissionais ligados a saúde.

DIMOB

Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias. Uma obrigação entregue anualmente para Receita Federal. Somente são obrigadas as empresas que intermedeiam, incorporam ou alugam imóveis.

Cuidar de todas essas obrigações para que a sua empresa esteja dentro das leis é papel do contador, ou do escritório de contabilidade. Por isso todo empreendimento necessita de um contador.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e tenha um dos melhores escritórios do país ao seu lado. Siga as nossas redes sociais Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube.

 

Leia também

Pesquisa revela relação entre empresário e contador. Veja

Saiba as diferenças entre sócio – administrador e sócio – quotista

Saiba a importância do Departamento Pessoal para uma empresa

Conheça o SEFAZ e veja porque você precisa dele

Saiba as diferenças entre sócio – administrador e sócio – quotista

Boa parte das empresas com personalidades jurídicas possuem dois tipos de participação societária. Logo, é comum que parte desses conceitos não sejam tão claros no dia a dia dos negócios, pois possuem vários aspectos descritos em leis.

Porém, é importante conhecer as diferenças básicas entre esses dois tipos de participação societária assim as pequenas e médias empresas possam tomar decisões mais informadas ao definir como será a participação de cada sócio. O entendimento dessas diferenças ajudará no relacionamento entre eles, já que questões importantes poderão ser resolvidas prevendo os possíveis problemas.

Saiba agora, a diferença entre sócio - administrador e sócio – quotista (Foto: Ilustrativa)
Saiba agora, a diferença entre sócio – administrador e sócio – quotista (Foto: Ilustrativa)

Saiba agora, neste artigo, a diferença entre sócio – administrador e sócio – quotista:

SÓCIO – ADMINISTRADOR

O sócio – administrador, como o próprio nome indica, é o responsável por desempenhar todas as funções administrativas da empresa. É ele quem conduz o dia a dia do negócio, assinando documentos, respondendo legalmente pela sociedade, realizando empréstimos e outras ações gerenciais.

SÓCIO – QUOTISTA

O sócio – quotista não tem qualquer envolvimento nas atividades administrativas da sociedade. Ainda assim, ele tem direito à divisão dos lucros, tendo em vista que também integrou uma parte do Capital Social para montar a empresa.

Vale destacar que quando nenhum dos sócios é administrador, outra pessoa deve ser indicada para essa função. Apesar de ganhar poder para exercer todas as atribuições do sócio-administrador, ela não terá participação nos lucros e prejuízos da empresa como os demais sócios, tendo em vista que não ajudou a compor o Capital Social.

Saiba agora, a diferença entre sócio - administrador e sócio – quotista (Foto: Ilustrativa)
Saiba agora, a diferença entre sócio – administrador e sócio – quotista (Foto: Ilustrativa)

É IMPORTANTE SABER

O sócio – administrador recebe o pró-labore mensalmente, como um pagamento pelo trabalho desenvolvido na empresa. O recebimento implica no pagamento do INSS, que tem como base de cálculo seu salário declarado.

Já o sócio – quotista deve ser remunerado pela distribuição de lucros. Mesmo não trabalhando efetivamente no dia a dia do negócio, ele tem direito a receber esses valores para compensar o tempo em que seu dinheiro ficou investido na empresa e por ter assumido os riscos do empreendimento.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e siga as nossas redes sociais Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube.

Leia também:

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Entenda como aumentar suas vendas com o Pós-Venda

Saiba como funciona o pagamento de férias coletivas

Redação de Thiagho Silva

Conheça a LGPD [Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais]

A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar como os dados dos brasileiros são tratados, armazenados e protegidos, prevendo multas pesadas a empresas que deixarem informações as vazarem.

O que é LGPD?

A LGPD, definida na Lei Nº 13.709 de agosto de 2018, discorre sobre como os dados dos brasileiros devem ser coletados, tratados, armazenados e protegidos, prevendo punições para descumprimento em casos de vazamentos, ou outras irregularidades. As normas são baseadas na GDPR, um conjunto de regras específico da União Europeia.

O que diz a lei?

Estabelece regras sobre coleta e manutenção das informações tanto de cidadãos brasileiros quanto de pessoas que estejam no território nacional, que deve ser feita sempre com o consentimento dos usuários salvo em casos de mandados judiciais ou para garantir a segurança pública e/ou do Estado, no caso de investigações criminais.

Dados sensíveis tais como referentes à religião, alinhamento político, estado de saúde, preferências sexuais ou características físicas, entre outros, foram classificados como restritos: eles não podem ser utilizados para fins que possam levar a situações discriminatórias e deverão ser protegidos.

A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)
A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)

Da parte das empresas e órgãos públicos, os mesmos terão que informar os direitos do usuário sobre recusar o tratamento de seus dados, bem como as consequências dessa decisão, onde ele deve autorizar o uso dos mesmos em caso de compartilhamento com terceiros. Igualmente, as empresas e órgãos deverão oferecer ferramentas que permitam ao usuário acessar seus dados, fazer correções, salvar, deletar ou transferi-los para outros serviços, seguindo o princípio de portabilidade.

Pessoas físicas que tratam dados com objetivos pessoais, acadêmicos, artísticos ou jornalísticos não serão afetados (os dados precisam ser tratados de forma anônima, entretanto).

Quando a lei entra em vigor?

A LGPD foi sancionada em agosto de 2018 pelo então presidente Michel Temer. Em julho de 2019, o presidente Jair Bolsonaro aprovou a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão responsável por garantir o cumprimento da lei. Logo entrou em vigor dois anos após a sanção presidencial, em agosto de 2020.

A Lei que estabeleceu a ANPD fez alterações na LGPD, que originalmente vetava sua criação e removeu algumas punições e restrições. Os trechos vetados são os seguintes:

  • Exigência de que as revisões de decisões tomadas por algoritmos devessem ser realizadas por seres humanos;
  • Proibição de compartilhamento, com outros órgãos ou empresas, dos dados pessoais de quem fizer requerimento dos mesmos pela Lei de Acesso à Informação;
  • Exigência de que o controlador dos dados devesse indicar um encarregado “detentor de conhecimento jurídico regulatório”;
  • Punições previstas para violações à LGPD por um ente responsável de uma empresa ou prestadora, como suspensão do funcionamento do banco de dados.
A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)
A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)

Quais são as punições previstas?

Vazamentos de dados serão analisados pela ANPD e julgados conforme a gravidade de cada caso. As empresas e prestadoras serão obrigadas a informar as falhas às autoridades tão logo tomem conhecimento delas, e não mais poderão esperar por consertar os vazamentos antes de virem a público.

Dependendo de cada situação, as empresas serão orientadas a divulgar ou não o vazamento publicamente, enquanto as multas e sanções serão aplicadas proporcionalmente. As consequências variam de uma advertência a uma multa simples de 2% sobre o faturamento anual, limitada a até R$ 50 milhões, ou uma multa diária, cuja soma dos valores não pode ultrapassar o valor acima mencionado.

A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)
A LGPD (ou Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) entrou em vigor em agosto de 2020 e é uma ferramenta do governo para regulamentar os dados dos brasileiros (Imagem: Ilustrativa)

Quem precisa se adequar à LGPD?

Todas as empresas e prestadoras que trabalham com tratamento de dados dos cidadãos brasileiros feita em território nacional, sediadas no Brasil ou no exterior, com operações no país ou não. Por exemplo, Google, Apple e Amazon respondem à LGPD mesmo se coletarem dados de brasileiros aqui para processa-los nos Estados Unidos.

A empresa com sede fora do Brasil ou que trabalhe com parceiras internacionais poderá transferir esses dados para fora, desde que o país em que ela está sediada também possua leis abrangentes sobre tratamento de informações pessoais, ou garanta mecanismos de proteção similares aos previstos na legislação brasileira.

Por fim, uma empresa deverá apagar dados que julgue não mais necessários (como o encerramento de uma conta no Google, por exemplo), exceto se ela for obrigada por lei, ou outro motivo justificável, a mantê-los. Veja o texto da Lei Nº 13.709 na íntegra.

Conheça a Fiscalizo Contabilidade e siga a gente nas redes sociais Instagram, Facebook, LinkedIn, Youtube.

Fonte: Tecnoblog.

Não emitir nota fiscal é crime? Saiba mais

Você provavelmente já ouviu falar que é seu dever como empresário, recolher os impostos e fazer a declaração dos seus ganhos. Mas, já chegou a pensar no que acontece se você não emitir nota fiscal?

Essa é uma das dúvidas mais comuns que existe, principalmente de quem está começando um novo projeto ou de quem ainda não tem um faturamento alto. Entretanto, vale destacar que as transações de venda são regularizadas através das notas fiscais, que é um documento obrigatório.

IMPORTÂNCIA

A nota fiscal, nada mais é do que um documento que serve para qualquer tipo de venda, seja no ambiente online ou físico. Através dela, que o Fisco inspeciona as empresas e faz a tributação sobre a operação.

Ou seja, quem não emite a nota fiscal – quando é necessário -, está de certa forma burlando as regras, o que de fato é ilegal e pode resultar em graves consequências, desde multas até prisões.

"<yoastmark

LEGISLAÇÃO

Burlar as regras e tentar esconder informações tributárias dos órgãos fiscalizadores é uma prática ilegal que pode resultar em graves penalidades. Uma delas é ser acusado de sonegação de impostos, um crime que prevê prisão de dois a cinco anos, além de multa.

De acordo com o art. 1º da Lei n. º 8.137/1990 tópico V, é um crime contra a ordem a ordem tributária negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente, relativa a venda de mercadoria ou prestação de serviço, efetivamente realizada, ou fornecê-la em desacordo com a legislação.

De acordo a lei 4.729/1965, constitui sonegação de impostos.

“Prestar declaração falsa ou omitir, total ou parcialmente, informação que deve ser produzida a agentes de pessoas jurídicas de direito público interno, com intenção de eximir-se, total ou parcialmente, do pagamento de tributos, taxas e quaisquer adicionais devidos por lei”

Agora que você já sabe que você precisa emitir notas fiscais, vamos trabalhar para facilitar a sua emissão e te ajudar a manter tudo dentro da lei. Na Fiscalizo, nós regularizamos a sua empresa e emitimos suas notas fiscais de forma prática.


Siga as nossas redes sociais como Instagram, Facebook, Linkedin e Youtube.

Você precisa ter um Certificado Digital, entenda o porquê

Você provavelmente já ouviu falar em certificado digital, mas possivelmente não sabe a sua importância e muito menos sua funcionalidade. Por isso, neste post iremos te explicar exatamente para que serve, como ter um e como usar.

O Que é Certificado Digital?

O Certificado Digital é a identidade digital de uma empresa ou de uma pessoa física, que permite assinar qualquer documento com validade jurídica e fazer as transações online com segurança.

Ele surge para garantir a autenticidade de diversas operações online, além de identificar pessoas físicas e jurídicas de acordo com a sua assinatura eletrônica.

Para Que Serve ?

Para autenticar todo tipo de transição e atividade online, por exemplo:

  • Assinar e enviar documentos digitais (contratos, acordos, recibos, promissórias, declarações)
  • Enviar declarações e obrigações acessórias da empresa aos órgãos do governo.
  • Realizar transações bancárias online com segurança
  • Emitir passaportes, carteiras de habilitação e diplomas universitários.
  • Participar de Leilões eletrônicos e criar procurações eletrônicas
  • Assinar NF-e, escriturações contábeis e fiscais.
  • Enviar declarações de Imposto de Renda à Receita federal.
  • Enviar informações da empresa pelo sistema eSocial.
  • Fazer login em ambientes restritos como o Portal e-CAC da Receita Federal.
O Certificado Digital é a identidade digital de uma empresa ou de uma pessoa física (Imagem: Ilustração)
O Certificado Digital é a identidade digital de uma empresa ou de uma pessoa física (Imagem: Ilustração)

Como Funciona?

Todo arquivo eletrônico desse tipo possui uma chave criptográfica pública ou privada, ou seja, um nome e um número exclusivo que protegem as informações do usuário. Dessa forma, quando o certificado digital é acionado para emissão de uma assinatura, imediatamente as informações são enviadas pelo emissor com uma chave pública.

A principal função é emitir, carregar e entregar as informações que só o próprio dono do certificado poderá criar e, em seguida, enviar os dados para o destino desejado.

Quais os benefícios?

Dentre os diversos benefícios está a praticidade em resolver qualquer trâmite burocrático sem sair de casa, mais segurança nas transações, redução de custos, facilidade de acesso a serviços públicos e outros.

Quem deve fazer o Certificado Digital?

Toda empresa que emita nota fiscal eletrônica de produtos (NF-e) é obrigada a possuir um certificado digital, além disso, qualquer empresa inscrita nos regimes tributário do Lucro Presumido e Lucro Real também necessitam de uma assinatura digital para cumprirem as obrigações da Receita Federal.

Emita o seu certificado digital conosco, temos os melhores planos e a melhor equipe para te auxiliar nos trâmites. Fale com a nossa equipe pelo WhatsApp, Facebook, Instagram ou Linkedin.

Suporte